Sobre a Revista

POLÍTICAS EDITORIAIS

 Foco e Escopo

  1. O escopo da revista é incentivar a investigação e o debate e a interação técnico-cientifico sobre a execução penal no Brasil. Para isso, recebe trabalhos originais e inéditos, resultantes de estudos teóricos e saberes especializados, produzidos por pesquisadores de universidades e operadores de instituições vinculadas ao sistema de justiça criminal, em especial, dos sistemas penitenciários do Brasil e no exterior.
  2. A submissão de artigos científicos, em fluxo contínuo, constituirá o volume principal do periódico.
  3. Também poderão ser publicados documentos inéditos, resenhas críticas, relatos de experiência, descrição de boas práticas e entrevistas com personalidades que possam contribuir para reflexões sobre temas relevantes à execução penal.
  4. A RBEP publica artigos inéditos nos idiomas português (preferencialmente), espanhol, inglês e francês. 
  5. Os artigos submetidos à publicação devem versar sobre ideias essencialmente relativas às questões centrais, nas seguintes áreas de conhecimento: sistema de justiça criminal (imbricado com a execução penal), sistemas penitenciários, execução penal, assistências e políticas para o sistema penitenciário, controle e participação social na execução penal, justiça e práticas de justiça restaurativas, inclusive, em perspectivas comparadas com outros países.
  6. As colaborações podem ser submetidas, também, nos formatos de documentos inéditos, relatos de experiência e descrição de boas práticas que busquem relacionar a experiência profissional, o conhecimento produzido sobre a matéria e o cumprimento da legislação nacional.
  7. Na seção Artigos, a revista Brasileira de Execução Penal (RBEP) publica, exclusivamente, artigos assinados por, no máximo, três autores, sendo, preferencialmente, um com título de doutorado. Já as resenhas, relatos de experiência, entrevistas e descrição de boas práticas não precisam ser assinadas por doutor/doutora.
  8. Haverá, na Aba Notícias, chamadas públicas para a constituição de Dossiês Temáticos e, ainda, seções específicas para publicações de resenhas, relatos de experiência e editais para prêmios científicos, por exemplo, de monografias, dissertações e teses, com a finalidade de dar visibilidade às contribuições acadêmicas que contribuem para a disseminação do conhecimento sobre a execução penal no Brasil.
  9. Preferencialmente, 60% dos autores sejam vinculados a pelo menos 4 instituições diferentes da responsável pela edição da revista;
  10. Preferencialmente, em cada edição publicada, pelo menos 1 (um) artigo será proveniente do exterior.
  11. Os artigos submetidos serão previamente avaliados pela Comissão Editorial, quanto à sua adequação à linha da revista.
  12. A avaliação dos artigos encaminhados à Revista Brasileira de Execução Penal será realizada via pareceres, constituído por dois pareceristas "ad hoc", com titulação igual ou superior à exigida do autor. O editor poderá convidar pensador, com notório saber, para contribuir no sistema blind review. Havendo divergência, um terceiro parecerista será convocado.
  13. O Conselho Editorial poderá requerer revisão, modificação ou reelaboração do texto enviado, sem que isso se configure em compromisso com a publicação ou aceite condicionado à requisição.