POLÍTICA NACIONAL DE TRABALHO PARA PRESOS, EGRESSOS E SEUS DIREITOS SOCIAIS:

Uma visão crítica no estado do Ceará

Autores

  • Miqueias Antony Moreira de Andrade FACULDADE DO VALE DO JAGUARIBE-FVJ

Resumo

O artigo trata do trabalho voltado aos presos e egressos do sistema penitenciário como forma de ressocialização, sob o enfoque da inexistência de políticas públicas no Estado do Ceará para esta área. Objetiva demonstrar a negligência do poder público frente ao preceito ressocializador como um dos objetivos da pena. Sustenta-se, em termos metodológicos, no processo de pesquisa bibliográfica, com o recurso a fontes secundárias. Também recorre à pesquisa documental, através da análise de fontes primárias como legislações pertinentes, especialmente a Constituição Federal e o Decreto nº 9.450/2018. Ademais, foi utilizada a pesquisa de campo, por meio de entrevistas com pessoas que passaram pelo sistema prisional e profissionais do direito. Ao final, atestou-se as principais questões que impedem a concretização da ressocialização, a saber: preconceito e escassez de políticas públicas no estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBERGARIA, Jason. Manual de direito penitenciário. Rio de Janeiro: Aide, 1993.

ALEXY, Robert. Teoria de los derechos fundamentales en el estado constitucional democratico. Em Neoconstitucionalismos(s). Madrid: Editorial Trota, 2003.

ARAÚJO, Stephane Silva. A origem da escola nacional de serviços penais: histórico de implantação e consolidação. Revista Brasileira de Execução Penal - RBEP, v.1, n. 1, 2020.

ASÚA, Luis Jiménez de. Psicoanálisis criminal. 4 ed. Buenos Aires: Editoral Losada, 1947.

BITENCOURT, Cezar Roberto. Falência da pena de prisão: causas e alternativas. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

BRASIL. Decreto nº6.049, de 27 de fevereiro de 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Decreto nº 6.877, de 18 de junho de 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. BRASIL. Decreto nº 9.662, de 1º de janeiro de 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 7.210, de 11 de julho de 1984. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 10.693, de 25 de junho de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 11.466, de 28 de março de 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 11.671, de 8 de maio de 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 11.907, de 2 de fevereiro de 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 12.313, de 19 de agosto de 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 12.654, de 28 de maio de 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.060, de 22 de dezembro de 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.327, de 29 de julho de 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.675, de 11 de junho de 2018. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.769, de 19 de dezembro de 2018. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.964, de 24 de dezembro de 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Portaria nº 123, de 19 de setembro de 2007. Disponível em: https://www.diariodasleis.com.br/busca/exibelink.php?numlink=1-228-29-2007-09-19-123. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Portaria nº 199, de 9 de novembro de 2018. Disponível em: https://www.in.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Portaria nº 05, de 16 de março de 2020. Disponível em: http://www.in.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Rcl 39756. Acórdão, 2020.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 104, de 4 de dezembro de 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 16 jun. 2021.

CARVALHO, Salo. Pena e garantias: uma leitura do garantismo de Luigi Ferrajoli no Brasil. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001.

CHAVES, João. Ciência penitenciária. Natal: Azymuth, 2015.

Enunciados e Recomendações do Sistema Penitenciário Federal atualizados até o IX Workshop/2018. “CJF, Conselho da Justiça Federal.” 2018.

FÁVERO, Flamínio. Medicina legal. 3. ed. São Paulo: Livraria Martins, 1945. 2. v.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução: Lígia M. Pondé Vassallo. Petrópolis: Vozes, 1977.

HUNGRIA, Nelson. Comentários ao código penal. Rio de Janeiro: Forense, t. II, v. 1, 1958.

PLAYFAIR, Giles, e Derrick SINGTON. Prisão não cura, corrompe. Tradução: Aydano Arruda. São Paulo: Instituição Brasileira de Difusão Cultural - IBRASA, 1965.

ROSS, Jeffrey Ian. The invention of the american supermax prison. Em The globalization of supermax prison. New Brunswick and London: Rutgers University Press, 2013.

ROXIN, Claus. Estudos de direito penal. Tradução: Luís Greco. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.

SILVA JÚNIOR, Walter Nunes da. Curso de direito processual penal; teoria (constitucional) do processo penal. Natal: OWL, 2015.

SILVA JÚNIOR, Walter Nunes da. Execução Penal no sistema penitenciário federal. Natal: OWL, 2020.

SILVA JÚNIOR, Walter Nunes da. Sistema penitenciário federal: o regime prisional de líderes de organizações criminosas. Revista Brasileira de Execução Penal – RBEP, Brasília, v. 1, n. 2, p. 101-134, 2020.

VARELLA, Drauzio. Carcereiros. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

ZAFFARONI, Eugenio Rúl, Alejandro ALAGIA, e Alejandro SLOKAR. Derecho Penal: parte general. 2 ed. Buenos Aires: Ediar, 2002.

Publicado

2021-09-08

Como Citar

Antony Moreira de Andrade , M. . (2021). POLÍTICA NACIONAL DE TRABALHO PARA PRESOS, EGRESSOS E SEUS DIREITOS SOCIAIS:: Uma visão crítica no estado do Ceará. REVISTA BRASILEIRA DE EXECUÇÃO PENAL - RBEP, 2(2). Recuperado de http://rbepdepen.depen.gov.br/index.php/RBEP/article/view/213