Projeto "Cidadania que Liberta"

Utopias Possíveis

Autores

  • Debora Cristina Gonçalves de Araújo RAESP
  • Edite Rosa de Mesquita RAESP
  • Mariana Leiras RAESP
  • Marlúcia Constantino Avellar RAESP

Palavras-chave:

Inserção social, Sistema penitenciário, Formação e cidadania

Resumo

A Rede de Apoio ao Egresso do Sistema Penitenciário, RAESP, desenvolveu o Projeto Cidadania que Liberta em parceria com a Secretaria de Estado e Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, com o apoio dos Institutos Rio e Phi. Seu objetivo foi desenvolver atitudes, produzindo reflexão acerca de perspectivas de vida pós-cárcere, atuando no resgate da dignidade, autoestima, habilidades, atitudes pessoais e profissionais no trabalho em equipe, valorização da família e formação na busca de reinserção social de internos do sistema penitenciário. Realizado no período de abril a dezembro/2018, por meio do Curso de Formação para Cidadania, obtivemos por resultado alcançado 207 alunos matriculados, sendo 143 aprovados no curso. A iniciativa aconteceu em 2 unidades prisionais de semiaberto, no Complexo de Gericinó, sendo realizados ao todo 8 encontros e oficinas de avaliação do curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Debora Cristina Gonçalves de Araújo, RAESP

Assistente Social - RAESP E-mail: deboracgda@gmail.com

Edite Rosa de Mesquita, RAESP

Assistente Social - RAESP E-mail: editerosa2005@yahoo.com.br

Mariana Leiras, RAESP

Assistente Social - RAESP E-mail: marianaleiras@yahoo.com.br

Marlúcia Constantino Avellar, RAESP

Assistente Social - RAESP E-mail: avellar_ss@yahoo.com.br

Referências

BRASIL. Lei nº 7.210, de 11 de julho de 1984. Institui a Lei de Execução Penal. Brasília, 1984.

FACEIRA, L. S.; FARIAS, F. R. (Org.). Punição e prisão: ensaios críticos. Rio de Janeiro. Lumen Juris, 2015.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Tradução Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

GALDEANO, A. P.; PAVEZ, T. G. Referência teórica e prática para a construção de projetos singulares integrados em gestão prisional. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2017.

GUINDANE, M. K. A. As expressões da violência no sistema prisional brasileiro. In: FACEIRA, L. S. .; FARIAS, F. R. (Org.). Punição e prisão: ensaios críticos. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2015. p. 45-59.

IPEA. Reincidência criminal no Brasil. Relatório de Pesquisa. Rio de Janeiro, 2015.

MJ/DEPEN. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. Brasília, 2017.

ONU. Regras de Mandela: Regras Mínimas das Nações Unidas para o Tratamento de Presos. Regra nº 90. 2015.

WACQUANT, L. Punir os pobres: a nova gestão da miséria nos Estados Unidos. Rio de Janeiro: REVAN, 2003.

WOLFF, M. P. Postulados, princípios e diretrizes para a política de atendimento às pessoas egressas do sistema prisional. Brasília: MJ/DEPEN, 2016.

YAZBEK, M. C. Classes subalternas e assistência social. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2003

Publicado

2020-09-03

Como Citar

Gonçalves de Araújo, D. C., Rosa de Mesquita, E., Leiras, M., & Constantino Avellar, M. (2020). Projeto "Cidadania que Liberta": Utopias Possíveis. REVISTA BRASILEIRA DE EXECUÇÃO PENAL - RBEP, 1(2), 177-197. Recuperado de http://rbepdepen.depen.gov.br/index.php/RBEP/article/view/relatos2

Edição

Seção

Relatos de Experiências e Boas Práticas

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##