O Projeto Prisões Livres de Tuberculose

Autores

  • Letícia Maranhão Matos Fundação Oswaldo Cruz/Departamento Penitenciário Nacional
  • Deciane Figueiredo Mafra Departamento Penitenciário Nacional
  • Pérolla Goulart-Gomes Fundação Oswaldo Cruz/Departamento Penitenciário Nacional
  • Jairo César de Carvalho Junior Departamento Penitenciário Nacional
  • June Corrêa Borges Scafuto Fundação Oswaldo Cruz
  • Deize Rackuel Pereira da Silva Fundação Oswaldo Cruz/Departamento Penitenciário Nacional

Resumo

Para oferecer promoção e prevenção de saúde às pessoas privadas de liberdade como resposta ao difícil cenário da tuberculose, em 2017 o DEPEN assinou Termo de Execução Descentralizada com a Fiocruz Brasília denominado "Projeto Prisões Livres de Tuberculose". Este busca realizar uma campanha nacional de educação em saúde com foco principal na tuberculose e na coinfecção TB e HIV/Aids com o envolvimento de todos os públicos da comunidade carcerária e considerando as peculiaridades deste meio. O projeto visa, ainda, colaborar na reorganização dos fluxos e procedimentos intra e extramuros da rede de saúde no sistema prisional, contando com atividades voltadas aos servidores penitenciários, pessoas privadas de liberdade e seus familiares. A utilização de recursos de comunicação contribui para incentivar a adaptação de comportamento, o aumento do conhecimento sobre a doença e sobretudo, a redução do estigma e preconceito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CARDOSO DE MELO, J. A. Educação e as Práticas de Saúde. In: Escola Politécnica De Saúde Joaquim Venâncio (Org.). Trabalho, Educação e Saúde: reflexões críticas de Joaquim Alberto Cardoso de Melo. Rio de Janeiro: EPSJV, 2007.

NARDI, Antonio Carlos Figueiredo et al. Comunicação em saúde: um estudo do perfil e da estrutura das assessorias de comunicação municipais em 2014-2015.Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília , v. 27, n. 2, e2017409, 2018. Available from<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222018000200314&lng=en&nrm=iso>. access on 15Oct. 2020. Epub July 02, 2018. http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742018000200015.

TEIXEIRA, José A. Carvalho. Comunicação em saúde: Relação Técnicos de Saúde - Utentes. Aná. Psicológica, Lisboa , v. 22, n. 3, p. 615-620, set. 2004. Disponível em <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312004000300021&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 15 out. 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. (2019). Global tuberculosis report 2019. https://apps.who.int/iris/handle/10665/329368.

SARACENI, V., LEAL, M. C., HARTZ, Z. M. A. Avaliação de campanhas de saúde com ênfase na sífilis congênita: uma revisão sistemática. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. vol.5 no.3 Recife July/Sept. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbsmi/v5n3/a02v5n3.pdf.

STOTZ, E. N. Enfoques sobre educação e saúde. In: Valla, V. & STOTZ, E. N. (Orgs.) Participação Popular, Educação e Saúde: teoria e prática. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1993, p.11-22.

Publicado

2021-04-08

Como Citar

Letícia Maranhão Matos, Deciane Figueiredo Mafra, Pérolla Goulart-Gomes, Jairo César de Carvalho Junior, June Corrêa Borges Scafuto, & Deize Rackuel Pereira da Silva. (2021). O Projeto Prisões Livres de Tuberculose. REVISTA BRASILEIRA DE EXECUÇÃO PENAL - RBEP, 2(1), 133-147. Recuperado de http://rbepdepen.depen.gov.br/index.php/RBEP/article/view/291