Sistema Penitenciário Federal

o regime prisional de líderes de organizações criminosas

Autores

  • Walter Nunes Justiça Federal

Palavras-chave:

Sistema Penitenciário Federal. Finalidade e características. Regime fechado com isolamento e monitoramento

Resumo

O Sistema Penitenciário Federal brasileiro foi criado em 2006, tendo como norte o funcionamento das Supermax americanas. Sem embargo desse aspecto, a Lei nº 11.671, de 2008, que disciplina esse microssistema de execução penal, foi elaborada de afogadilho, sem estudo mais denso sobre o tema, de modo que não se apresenta como referencial adequado para equacionar questões fundamentais para que os presídios federais se prestem a cumprir a missão institucional que lhes foi confiada. A par disso, por se tratar de um instituto novo, é praticamente inexistente doutrina a respeito, sendo formada a compreensão quanto aos temas por meio de uma doutrina judicial tão rarefeita quanto a lei de regência. Com suporte no exame crítico do referencial normativo e o estudo empírico do funcionamento do sistema, são realçadas a razão de ser da criação dos presídios, sua finalidade e as características para, daí, concluir com a demonstração de que o regime de cumprimento de prisão em presídio federal é de segurança máxima com isolamento e monitoramento, o que o diferencia do que é previsto na Lei de Execução Penal para os presídios estaduais. No final, são destacados os aspectos fundamentais do sistema penitenciário federal e o aprimoramento normativo com a edição da Lei nº 13.964, de 2019. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Walter Nunes, Justiça Federal

Juiz titular da Segunda Vara Federal da Seção Judiciária d o Rio Grande do Norte. Mestre e Doutor em Direito Constitucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Referências

AMORIM, Carlos. C V-P C C: a irmandade do crime. 7. ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.

BATALHA campal em Alcaçuz. 1 vídeo (56 seg.). Publicado pelo canal Galeria mais Galeria. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v+v1_Lb1KtVbw. Acesso em: 29 dez. 2020.

BRASIL. Decreto nº 6.049, de 27 de fevereiro de 2007. Aprova o Regulamento Penitenciário Federal. Brasília, DF: Presidência da República, [2007]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6049.htm. Acesso em: 29 jun. 2020.

BRASIL. Decreto nº 6.877, de 18 de junho de 2009. Regulamenta a Lei nº 11.671, de 8 de maio de 2008, que dispõe sobre a inclusão de presos em estabelecimentos penais federais de segurança máxima ou a sua transferência para aqueles estabelecimentos, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2009]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D6877.htm. Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Emenda Constitucional 104, de 4 de dezembro de 2019. Altera o inciso XIV do caput do art. 21, o § 4º do art. 32 e o art. 144 da Constituição Federal, para criar as polícias penais federal, estaduais e distrital. Brasília, DF: Presidência da República, [2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constitui-cao/emendas/emc/emc104.htm. Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 7.210, de 11 de julho de 1984. Institui a Lei de Execução Penal. Brasília, DF: Presidência da República, [2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7210.htm Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 10.792, de 1º de dezembro de 2003. Altera a Lei nº 7.210, de 11 de junho de 1984 – Lei de Execução Penal e o Decreto-Lei nº 3.689, de 3 de outubro de 1941 – Código de Processo Penal e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2003]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2003/L10.792.htm. Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 11.671, de 8 de maio de 2008. Dispõe sobre a transferên-cia e inclusão de presos em estabelecimentos penais federais de se-gurança máxima e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11671.htm. Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 12.850, de 2 de agosto de 2013. Define organização criminosa e dispõe sobre a investigação criminal, os meios de ob-tenção da prova, infrações penais correlatas e o procedimento cri-minal; altera o Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal); revoga a Lei nº 9.034, de 3 de maio de 1995; e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2019]. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12850.htm. Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.964, de 24 de dezembro de 201920. Aperfeiçoa a legislação penal e processual penal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/lei/L13964.htm. Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Regras de Mandela: regras míni-mas das Nações Unidas para o tratamento de presos. Brasília, DF: CNJ, 2016.

BRASIL. Ministério da Justiça. Portaria nº 718, de 28 de agosto de 2017. Disciplina o procedimento de visita social aos presos nos estabele-cimentos penais federais de segurança máxima e dá outras provi-dências. Portaria n. 718, de 28 de agosto de 2017. Disponível em: https://www.direitohd.com/portaria718mjsp. Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Justiça. Portaria nº 157, de 12 de fevereiro 2019.Disciplina o procedimento de visita social aos presos nos estabele-cimentos penais federais de segurança máxima e dá outras provi-dências. Portaria n. 157, de 12 de fevereiro 2019. Disponível em: https://www.direitohd.com/portaria157-2019. Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Justiça. Portaria nº 1.190, de 19 de junho 2008. Regulamenta a visita íntima no interior das penitenciárias federais. Disponível em: https://www.normasbrasil.com.br/norma/portaria-1190-2008_210379.html. Acesso em: 15 jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Justiça. Portaria nº 718, de 28 de agosto 2017. Regulamenta a visita íntima no interior das penitenciárias federais. Disponível em: https://www.direitohd.com/portaria718mjsp. Acesso em: 15 jan. 2020.BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. AgRg no CC 156.719/AM. Brasília. Agravo regimental em conflito negativo de competência. Prorrogação de permanência de preso provisoriamente em presídio federal de segurança máxima. Relator: Ministro Reynaldo Soares da Fonseca, 3ª Seção, julgado em 11 de abril de 2018. DJe 7 maio 2018. Disponível em: https://scon.stj.jus.br/SCON/jurisprudencia/toc.

BRUNO, Paes Manso; DIAS, Camila Nunes. Guerra: a ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil.São Paulo: Todavia,2018.

CARNELUTTI, Francesco. As misérias do processo penal. Tradução José Antônio Cardinalli. São Paulo: Connan Editora, 1995.

CASTILHO, Ela Wiecko V. de. Controle da legalidade na execução penal. Porto Alegre, Rio Grande do Sul: Sergio Antonio Fabris Editor, 1988.

CHRISTINO, Marcio Sergio; TOGNOLLI, Claudio. Laços de sangue: a história secreta do PCC. São Paulo: Matrix Editora, 2017.

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL. Recomendação n. 9. In: WORKSHOP SOBRE O SISTEMA PENITENCIÁRIO FEDERAL, 9., 2018. Anais [...]. Brasília, DF: CJF, 2019. Disponível em: https://www.cjf.jus.br/cjf/corregedoria-da-justica-federal/centro-de-estudos-judiciarios-1/publicacoes-1/sistema-penitenciario-federal/ix-workshop-sobre-o-sistema-penitenciario-federal-2013-anais-do-evento/@@download/arquivo. Acesso em: 22 jan. 2020.

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL. Resolução nº 502, de 9 de maio de 2006. Regulamenta os procedimentos de inclusão e de transferência de pessoas presas para unidades do Sistema Penitenciário Federal. [2006]. Disponível em: https://www2.cjf.jus.br/jspui/handle/1234/3640. Acesso em: 15 jan. 2020.

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL. Resolução nº 557, de 8 de maio de 2007. Regulamenta os procedimentos de inclusão e de transferência de pessoas presas para unidades do Sistema Penitenciário Federal [2007]. Disponível em: https://www2.cjf.jus.br/jspui/bitstream/handle/1234/3732/RES%20557-2007.pdf ?sequence=3. Acesso em: 15 jan. 2020.

DIAS, Camila Caldeira Nunes. PCC: hegemonia nas prisões e monopólio da violência. Colaboradores: Alice Bianchini, Ivan Luís Marques e Luiz Flávio Gomes. São Paulo: Saraiva, 2013.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2019, [São Paulo], a. 13, 2019. Disponível em: http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/10/Anuario-2019-FINAL_21.10.19.pdf. Acesso em: 19 jan. 2020.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução Lígia M. Pondé Vassallo. Petrópolis: Vozes, 1977.

FUNES, Mariano Ruiz. A crise nas prisões. Tradução Hilário Veiga Carvalho. São Paulo: Saraiva, 1935.

HURLEY, Martha L. Henderson. s.d. Supermax prison. Encyclopaedia Britannica, [s.d.]. [Online] Disponível em: https://www.britannica.com/topic/supermax-prison. Acesso em: 10 out. 2019.

PF FAZ OPERAÇÃO e prende irmã e filha de traficante Beira--Mar. Folha de S.Paulo, São Paulo, 24 maio 2017. Caderno Cotidiano. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/05/1886888-pf-faz-operacao-e-prende-irma-e-filho-de-traficante-beira-mar.shtml. Acesso em: 29 dez. 2019.

PLAYFAIR, Giles; SINGTON, Derrick. Prisão não cura, corrompe. Tradução Aydano Arruda. São Paulo: Ibrasa, 1969.

PRESÍDIO para Beira-Mar ainda está em obras. Folha de S.Paulo, São Paulo, 15 jul. 2005. Caderno Cotidiano. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff1507200501.htm. Acesso em: 29 dez. 2019.

PRISÕES Federais. Leia a resolução sobre transferência para presídios federais. Consultor Jurídico, 10 maio 2006. Disponível em: https://www.conjur.com.br/2006-mai-10/leia_resolucao_cjf_novos_presidios. Acesso em: 29 dez. 2019.

SILVA JÚNIOR, Walter Nunes da. Curso de processo penal: teoria (constitucional) do processo penal.2. ed. rev. ampl. e atual. Natal: OWL, 2015.

SILVA JÚNIOR, Walter Nunes da. Manual prático das rotinas das corregedorias judiciais das penitenciárias federais. Brasília: Conselho da Justiça Federal, Centro de Estudos Judiciários. Disponível em: http://www.cjf.jus.br/cjf/CEJCoedi/enunciados/forum?searchterm=cartilha+das+corregedorias. Acesso em: 20 nov. 2019.

SILVA JÚNIOR, Walter Nunes da; PAIXÃO, Juliana Maria. Cartilha das Corregedorias Judiciais das Penitenciárias Federais. Brasília: Conselho da Justiça Federal, Centro de Estudos Judiciários. 2013. Disponível em: http://www.cjf.jus.br/cjf/CEJ-Coedi/enunciados/forum?searchterm=cartilha+das+corregedorias. Acesso em: 20 nov. 2019.

SILVA JÚNIOR, Walter Nunes da; PEREIRA JÚNIOR, Danilo; CRUZ, Flávio Antônio; LOBÃO, Marcelo Meireles; SAMPAIO, Alexandre Buck. Plano de Gestão das Corregedorias Judiciais das Penitenciárias Federais. Brasília, DF: Conselho da Justiça Federal, Centro de Estudos Judiciários, [2013]. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/programas-de-a-a-z/sistema-carcerario-e-execucao-penal/pj-justica-criminal. Acesso em: 20 nov. 2019.

THIGPEN, Morris L.; HUNTER, Susan M.; FRANKLIN, Richard H. Supermax prison: overview and general considerations. [Washington, DC]: National Institute of Correction, 1999. E-book. Disponível em: https://www.prisonpolicy.org/scans/NIC_014937.pdf. Acesso em: 29 jun. 2020.

UNODC, United Nations Office on Drugs and Crime. Intentional Homicide Victims. 2019. Disponível em: https://www.unodc.org/lpo-brazil/pt/frontpage/2019/07/brasil-tem-segunda-maior-taxa-de-homicdios-da-amrica-do-sul--diz-relatrio-da-onu.html. Acesso em: 8 jul. 2020.

WORKSHOPS SOBRE O SISTEMA PENITENCIÁRIO FEDERAL. 1-10. 2010-2020. Brasília. Anais [...]. Conselho Nacional da Justiça Federal, [2010-2020]. Disponível em: http://www.cjf.jus.br/cjf/corregedoria-da-justica-federal/centro-de-estudos-judiciarios-1/publicacoes-1/sistema-penitenciario-federal. Acesso em: 22 jun. 2020.

Publicado

2020-09-03

Como Citar

Nunes, W. (2020). Sistema Penitenciário Federal: o regime prisional de líderes de organizações criminosas. REVISTA BRASILEIRA DE EXECUÇÃO PENAL - RBEP, 1(2), 101-134. Recuperado de http://rbepdepen.depen.gov.br/index.php/RBEP/article/view/dossie4